Além do espetáculo

301 de 365

Leave a comment

20131030-222704.jpg

 

 

Se tornou difícil até pensar. Às vezes, o peso do mundo – do meu mundo, ao menos – parece demais. Tudo dentro de mim parece gritar: meus músculos doem antes mesmo da primeira contração, meus órgãos clamam pelo indefinido, minhas angústias tomam de assalto minha alma e massacram minhas esperanças e sonhos. Sento. Penso. Onde foram parar minha hercúlea força e homérica coragem? Tudo me pesa demais. Não consigo carregar esse peso. Solitário, olho diretamente nos olhos da Medusa. E ali fico.

Passar um tempo desenhando estátuas e estudando planos parecem ter ajudado bastante a esculpir o desenho, mas dessa vez eu deixei passar longe a energia da pose. Acabou se tornando bem estática. Vai ver é o fato de estar há muito tempo sem fazer nada de gesture…

Author: Eduardo Souza

Talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses, porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso. alemdoespetaculo.wordpress.com animusmundus.wordpress.com

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s