Além do espetáculo

298 de 365

Leave a comment

20131027-225953.jpg

Não sentia vontade de levantar. Seus músculos doíam, mesmo seu corpo letárgico sobre a cama nos últimos dias, isolado naquele quarto, vendo sua vida passar minuto a minuto. Após algum tempo, não sabia mais o que eram as horas. Respirava descompassado, sonhava ora sim, ora não, ora sim, ora não, seus movimentos lentos, se virava, desvirava, refazia o que havia feito. Quase nada.

Tinha dor, preguiça, cansaço. Melancolia. Não, não tinha nada. Quanta pretensão ter alguma coisa. Muito pelo contrário, não tinha, não era, não parecia sequer existir. Mas o tempo passava. Os dias lhe acenavam pela sombra atrás do pano sobre a janela.

Fez esforço, tentou levantar.

Author: Eduardo Souza

Talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses, porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso. alemdoespetaculo.wordpress.com animusmundus.wordpress.com

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s