Além do espetáculo

As ciclofaixas do Recife

Leave a comment

Assim como nos domingos, amanhã — terça-feira, dia 16 de julho — terá a ciclofaixa exclusiva na cidade do Recife. Feriado municipal. Espero que você, meu leitor ciclista recifense, vá às ruas com sua bicicleta própria ou alugada e, de fato, ocupe a sua cidade. E observe-a. Olhe-a bem de perto, olhos nos olhos e quero ver o que você diz.

Quero ver se você vai reproduzir o discurso idiotizante de que a cidade é bela e cheia de histórias e que com o carro você não podia observar essas coisas porque estava preocupado com o trânsito e que, agora sim, você conhece Recife.

Olhe atentamente a gambiarra que é a rede elétrica dessa cidade, que matou mais do que a dengue no último ano. Olhe a quantidade absurda de fios grossos, pesados, caindo a uma altura que seu filho ou sobrinho de 5 anos poderia agarrar. Olhe a agressão que é ver um poste com mais de 30, 50 fios amarrados, se esticando ao longo das e perpendicular às ruas.

Contemple os esgotos estourados, os mesmos de quando um quinto das pessoas viviam nessas ruas. Esgotos a céu aberto que fazem o jogador uruguaio dizer que a cidade fede. Porque fede. No seu dia-a-dia, no carro com ar condicionado e Glade, talvez não dê pra sentir. Mas inale o cheiro da sua cidade com vontade nesse feriado. Sinta no fundo de seus pulmões o seu povo e sua terra.

Admire as calçadas. As únicas coisas mais esburacadas do que as ruas da sua cidade, que tornam qualquer ida à padaria muito mais emocionante do que qualquer ecoturismo que você pode fazer pela Europa. Admire cada relevo, os altos e baixos das calçadas da sua cidade enquanto imagina sua mãe ou avó — ou qualquer idoso ou cadeirante — caminhando por ali. Ao admirar aquelas belas texturas da calçada, imagine seu familiar sofrendo um acidente, quebrando um osso e tudo ficar por isso mesmo.

Enxergue as crianças na rua, frutos do descaso público e da corrupção. Veja o lixo no chão, jogado pela mão de quem rouba o dinheiro das escolas desse país, desse estado e dessa cidade. Observe a depredação da história dessa cidade, onde hoje há prédios quase tão altos quanto o montante de dinheiro das construtoras atrozes.

Agora, imagine o que essa cidade poderia ser. Enquanto passeia com sua bicicleta na ciclofaixa. E agredeça a oportunidade que a Prefeitura está lhe oferecendo.

Author: Eduardo Souza

Talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses, porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso. alemdoespetaculo.wordpress.com animusmundus.wordpress.com

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s