Além do espetáculo

A arte do apesar de

Leave a comment

Depois que eu me tornei “adulto”, o meu mundo não se tornou mais bonito, nem mais livre; tampouco meus anseios diminuíram e nem meus medos passaram a ter medo de mim.

Depois que eu me tornei “adulto”, as coisas só se tornaram mais viscerais. As contradições, os flagelos e mazelas; tudo aquilo que já esboçava estar presente no meu mundo simples de adulto-to-be se tornaram mais atrozes. E aí eu aprendi que um “adulto” é aquele que, mais do que um jovem, tem que suportar, sem reclamar muito, esse status quo. O “adulto” sabe dos problemas, vivencia-os e até ajuda a criá-los. Mas o consenso é que todos tem que suportar. Não suportar, é se dar por vencido; é ser um louco, é ser menos valioso do que aquele que trabalha 8 horas por dia.

E não entenda suportar como ser subserviente; não. Há aqueles que suportam com uma ganância invejável. Aqueles que dão seu suor para que o status quo continue exatamentemente o mesmo. Só que ele, em uma posição mais confortável. E você encontra por aí os mais diferentes jeitos de suportar isso: alguns reclamam, outros se calam. Outros bradam contra e outros, a favor. Uns amam as sombras na caverna. Outros, sequer sabem que estão em uma. Alguns outros cogitam que só há cavernas, umas dentro das outras.

Eu, eu não sei. Tudo o que tenho notado é que a coisa que mais precisa me ser preciosa é a arte do apesar de. Mesmo com todos os problemas se sobrepondo, intercalando, somando e multiplicando,o apesar de me parece ser a única saída possível.

É se esforçar para que eu consiga ir ao encontro da montanha apesar das pedras. É ter a calma, a paciência e a afabilidade apesar de um dia difícil no trabalho, de clientes loucos, de um trânsito insuportável. É conseguir construir um castelo apesar de impostos altíssimos, falta de educação. É conseguir ver seus sonhos reais apesar do fluxo torrencial de mentiras, constructos retóricos e falsas verdades. É ter força para se dedicar a o que quer que seja, apesar de tudo.

Author: Eduardo Souza

Talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses, porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso. alemdoespetaculo.wordpress.com animusmundus.wordpress.com

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s