Além do espetáculo


Leave a comment

Estranhamento

É preciso destruir toda e qualquer naturekza de admiracao e nostalgia. Delas vem a inevitabilidade da estagnação.

Todo olhar, todo gesto precisa ser desviado; toda percepçao ressugnificada.

Todo pacote arbitrário que lhe foi passado só ata suas potencias como a um escravo; por isso, é necessario queima-las e respirar-lhe a fumaça como quem traga o perfume do ente amado.

É preciso desejar, mas nao o mero consumo. É preciso desejar o desvio. É preciso buscar o inconsciente, os sonhos reprimidos mas tambem nao como o complementar da realidade em relaçao ao cosmos, mas como a intersecao do cosmos com a subjetividade.

Apenas ter vontade não é o suficiebte, é preciso desejar. Da mesma corma que se busca o awe, o deslumbramento; nao a mera recompensa, o biscoito que se da ao cachorro depois de pegar uma bola.

É preciso buscar não as semelhancas, mas a difernncas, porque para a mente automatizada, estigmatizada, tudo é semhanca. Tudo è comparavel. Nas è preciso ver na mais oerfeita repeticao a diferenca e q singukaridade

É preciso destruir qualquer esperanca de visibilidade a fim de admirar o invisivel. É preciso admirar as conquistas mais minimas, pois elas sao as mais cheias de potencia e vazias de nostalgia. Elas sao as mais

.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.